I Reunião do Projeto Intecoop Furg no Canal do DAC 

clique aqui para assistir a entrevista.

No dia 14 de abril de 2016, o NUDESE (Núcleo de Desenvolvimento Social e Econômico) realizou o I Encontro de Empreendimentos Incubados no Auditório do Centro de Convívio Meninos do Mar (CCMar-FURG).
Neste evento foi apresentado o projeto de pesquisa “Autogestão e formação de trabalhadores associados: Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares – INTECOOP-FURG” vinculado ao CNPq.
Participaram do encontro os pescadores artesanais da Associação de Pescadores da Vila São Miguel (APESMI) e Cooperativa de Pescadores e Pescadoras Profissionais Artesanais da Vila São Miguel (COOPESMI); as trabalhadoras em alimentação do grupo Delícias Solidárias e a rede de artesanato composta pelos grupos Três Corujas, Arte da Reciclagem, Reciclar é vida e Estúdio Carlo e Diego.

Oficinas de Agricultura Urbana no canal do DAC

clique aqui para assistir. 

       Diante da atual situação em que se encontra o país, para além de pensar as políticas públicas inclusivas que perderam espaço, hoje corremos o risco de ter nossa democracia brasileira tão jovem desfeita. Neste sentido, a Coordenação Nacional do Fórum Brasileiro de Economia Solidária, que esteve reunida de 15 a 17 de março de 2016, em Luziânia (GO), deixa sua posição em relação a este momento - vamos à luta pela democracia brasileira e pela democratização dos meios de comunicação.

       CARTA ABERTA

XIII Encontro Nacional do Fórum Brasileiro de Economia Solidária

       Luziânia, 17 de março de 2016.

       Diante da atual conjuntura política que o país está vivenciando, nós Fórum Brasileiro de Economia Solidária nos posicionamos a favor da Democracia Participativa.

       Representamos o movimento social da Economia Solidária e sabemos da importância de lidar com as divergências e superar a intolerância sem disseminar o ódio e a opressão. O ato de protestar é uma forma de expressão de opinião, liberdade constitucional que o Estado Democrático de Direito proporciona aos cidadãos. Mas estes atos não podem ser utilizados como manobra e legitimação de golpe ao Estado Democrático. Nesse momento, os atos de manipulação das informações pela mídia têm criado um clima de instabilidade no país e incitado pelo Poder Judiciário. As ações da justiça não podem ser de acordo com ideologias e sim baseadas nos direitos constitucionais vigentes.

       Defendemos um modelo de desenvolvimento integral e inclusivo, com políticas públicas transparentes e emancipatórias que promovam a união, a valorização do ser humano, o trabalho decente que construa uma sociedade mais justa e solidária. Somos contra um modelo de sociedade opressora, contra privilégios que não permitem que a vida flua na sua magnitude e impeçam o bem-viver de todos os seres vivos.

       Precisamos mudar a forma de fazer política não aceitando os acordos de interesse espúrios em detrimento ao bem comum. É preciso ainda resistir ao modelo de desenvolvimento que está posto, e para isso é necessário denunciar a violação de direitos, a manipulação de informações e deturpação da verdade.

       Nos posicionamos a favor da mudança na política econômica, pela valorização dos movimentos populares, pela vida, pela economia distributiva, pelo acesso aos direitos fundamentais, aos direitos sociais, ao acesso à informação verídica, pelo direito a comunicação que nos permite participar com legitimidade, ter voz e protagonismo nos processos decisórios.

       É por isso vamos às ruas,

       Não vai ter Golpe!

       Coordenação Nacional Fórum Brasileiro de Economia Solidária

Divulgue a carta pelo: http://migre.me/tjdHA

Fonte: http://www.fbes.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=8801&Itemid=62

Subcategorias